Perfis comportamentais – por que entendê-los

Por
Andrea Sanchez
&
Postado em
5/5/2020

A todo instante somos convidados a participar, influenciar, promover e apoiar a expansão de consciência de muitas pessoas, além da nossa própria. As análises e percepções sobre quem somos são peças fundamentais na busca pelo desenvolvimento em nossas vidas; nos tornarmos responsáveis pela nossa comunicação, bem como pela autocompreensão das próprias competências e dos riscos comportamentais. Essas temáticas tão abrangentes e desafiadoras, nos colocam no caminho de explorar todos os recursos que poderão nos apoiar nessa trilha.

Todos os dias temos de forma igualitária o “tempo”, além do livre arbítrio para decidirmos o que fazer com ele. A maioria de nós tem feito boas escolhas, buscando priorizar e ocupar esse espaço de aprendizado com conhecimentos de valor, teorias de apoio e profissionais que nos ajudem nesse despertar tão necessário. As inúmeras possibilidades de desenvolvimento estão disponíveis e ao alcance de nossas mãos, porém ainda é muito frequente buscarmos essas opções somente em momentos de vulnerabilidades, impulsionados pelo desejo de nos ausentarmos da dor. Ainda assim, é possível evitar essa situação, decidindo antecipadamente buscar a evolução, com leveza e tranquilidade:

Olhando para sua trilha construída até o momento, e vislumbrando seu lugar de chegada.

Como você tem investido nisso? O que tem aprendido que contribui? Como tem influenciado seus caminhos? No que se baseia para tomar as melhores decisões? Como apoia e desenvolve as pessoas com que convive? Quais análises têm feito para escolher ou colaborar com seu time?

A teoria DISC nos traz muitas possibilidades de descobertas e direcionamento. A partir do entendimento de algumas das características de cada um dos quatro estilos, temos clareza de como interagir com mais eficiência, considerando as preferências de comunicação. Embora o estilo comportamental seja apenas uma descrição parcial da personalidade, é bastante útil entender como uma pessoa se comporta, bem como a percebemos nos aspectos sociais e no ambiente de trabalho.

Abaixo um olhar mais abrangente dos estilos DISC:

Esta é apenas uma das perspectivas que esse método apresenta. Além da potencialização da comunicação, há outras competências e dinâmicas que podem ser aprimoradas com essas informações e o olhar empático para com o outro. Enquanto o DISC demonstra a gama de tendências comportamentais, temos os MOTIVADORES, teoria complementar, que estabelece uma relação de causa que impulsiona os comportamentos.

A teoria dos Motivadores surgiu a partir da combinação dos estudos do alemão Eduard Spranger e do americano Gordon Allport. Ela nos permite identificar os fatores que direcionam e motivam uma pessoa. Os pesquisadores descobriram sete dimensões de motivadores capazes de identificar as razões pelas quais as pessoas utilizam seus talentos, descrevendo assim seus engajadores/valores e favorecendo o entendimento de seus “porquês”. O alinhamento dos motivadores com a profissão é de vital importância para manter atuante a motivação intrínseca.

As 7 dimensões dos Motivadores:

Um aspecto indissociável a esta análise é que os fatores, aqui, estão apresentados rapidamente e isoladamente. Quando realizado um assessment, conseguimos perceber, além dos traços mais marcantes, os sutis ou até mesmo os antagônicos, advindos justamente da combinação de todos estes elementos, seja em intensidade ou sua ausência.

O conhecimento acerca de nós e dos outros é fundamental para escolhas mais assertivas e conscientes, para promover, em qualquer âmbito da vida, relações produtivas e leves. Desta forma, além do desenvolvimento dos conhecimentos técnicos e das soft skills, ultimamente tão famosas, dedique tempo e esforço para os perfis comportamentais - certamente será um investimento com retorno em curto prazo.

Andrea Sanchez

Dedica esforços em apoiar o desenvolvimento próprio e das pessoas que chegam pelas portas e caminhos oferecidos pela vida, sempre com acolhimento, amor e respeito com as histórias e possibilidades.

POSTS RELACIONADOS

O botão e a flor

SAIBA MAIS

Sobre legado

SAIBA MAIS

8 dicas para tornar suas reuniões mais produtivas

SAIBA MAIS

ÚLTIMOS POSTS

O botão e a flor

Moro numa casa antiga em São Paulo, a maior cidade do país. Até aqui, nada anormal, certo?‍ Mas as pessoas se surpreendem quando ficam sabendo que o meu quintal é de terra e que tenho dois limoeiros, uma pitangueira, uma amoreira e uma jabuticabeira no jardim, além de muitos vasos de suculentas e cactos.‍ Isto é bastante diferente em cidades grandes, concordam?

Por
Sonia Barros
&
12/5/2020

Sobre legado

Muito se fala sobre a importância de se ter um propósito na vida e isso, muitas vezes, nos faz pensar: “será que eu tenho um propósito claro? O que, de fato, faz sentido na minha vida?”. Se você já se debateu pensando “como é que eu posso não ter clareza de meu propósito nessa vida?”, um momento de descompressão: nem sempre é tão simples identificarmos isso. Pode levar anos!

Por
Claudia Serrano
&
23/10/2018
NOSSA ESSÊNCIA

Há mais de 10 anos acreditando na singularidade do desenho de construção individual como instrumento da Revolução Humana.

Saiba mais