Para ter um 2019 criativo todos os dias!

Por
César Caminha
&
Postado em
1/3/2021

Como dizia meu avô... vivemos tempos “bicudos”, que hoje chamamos de “desafiadores”, um neologismo para “a crise está feia”. Nossa experiência mostra que estes são os momentos de vida onde a inovação e a criatividade são determinantes para nosso futuro.

Isto posto, 2019 pede. Não, na verdade, 2019 clama por inovação e criatividade. Nos meus treinamentos de Planejamento Estratégico e Design Thinking, sempre sou instigado com a pergunta: como inovar em um dia a dia tão corrido?

Muito tenho refletido sobre esta questão, e percebi que o primeiro passo para inovar é JOGAR FORA!! Só podemos inovar se esvaziarmos a nossa “xicara de chá”, para experimentar “novos chás”, como ensina o velho conto oriental da Cerimônia do Chá, onde o discípulo é surpreendido pelo mestre, que ao encher sua xícara, não para quando ela está cheia, trasbordando pela mesa, quando o discípulo se espanta, o mestre explica o óbvio.

Temos aqui uma grande oportunidade de aprendizado, que podemos transformar em um exercício diário de criatividade e inovação nas situações mais simples do cotidiano.

Vamos então na prática: a proposta é jogar fora a primeira ideia, proposta, intenção ou decisão! De forma geral, esta primeira percepção de solução de problema ou caminho a seguir é originado de nossa história, experiência ou mesmo padrões de comportamento. E se quisermos realmente fazer diferente, desapegar destes primeiros pensamentos é imprescindível abandoná-los!

Quer viajar no final de semana? Ótimo, e logo vem à mente: praia! E Maresias! Quer inovar? Vá para outro lugar, para o campo, para o interior...

Trocar de carro? Certo é buscar o que já me deu segurança! Para inovar... será que preciso de carro?

Esta é a proposta, simplesmente abandone a primeira ideia, lugar ou comida que vier à sua mente. Sem dó nem piedade ignore o primeiro pensamento.... e aguarde o que vem depois. Aqui, não questiono a qualidade deste primeiro pensamento, pois com certeza é uma opção acertada, segura e tranquila para seu dilema.

Porém, junto com esta certeza, vem seus condicionamentos, premissas antigas e modelos mentais consolidados. Verdadeiros venenos contra a inovação...

Vá para a segunda, terceira ou mesmo quarta opção, pois em geral, estas têm um componente que queremos neste exercício: Inovação! Fazer diferente, buscar novos caminhos!!

E agora? Bem, sugiro que se deleite e experimente este novo “chá”, a nova “roupa”, este novo caminho, e se não der certo.... bem, vamos para outro caminho, rapidamente. Cuidado para o risco de desapegar dos modelos antigos para se apegar aos novos! Errar rápido, e rapidamente se reposicionar, é a chave da sobrevivência nestes novos momentos do planeta.

Lembrete final: é novo, se é novo é incerto, e se é incerto, vamos resistir... Vale a pena experimentar... Se der certo!!! Super!! Se não... beleza, pegue a próxima ideia, experimente... Não podemos esquecer: sempre temos novas possibilidades!

César Caminha

Refinador e analítico, acredita que é possível garantir que as pessoas, a partir de uma conexão e alinhamento com sua essência e seu propósito, tenham uma vida feliz eíntegra, mantendo uma conexão sustentável e positiva entre as organizações e a sociedade.

POSTS RELACIONADOS

Os relógios

SAIBA MAIS

A responsabilidade do poder no contexto da gestão.

SAIBA MAIS

Roupa no varal

SAIBA MAIS

ÚLTIMOS POSTS

Os relógios

Houve um tempo que o sol marcava as horas e juntamente com a natureza, marcava os ciclos da vida. Houve um tempo quando os relógios eram de bolso, presos às roupas por lindas correntes de ouro ou prata e usados por elegantes senhores de ternos escuros e chapéus (...)

Por
Sonia Barros
&
1/3/2021

A responsabilidade do poder no contexto da gestão.

No sentido da palavra, poder e gestão são muito semelhantes. Eu diria que são sinônimas uma da outra, pois quando pensamos na palavra gestão, logo nos vem à cabeça cargos de gerência, diretoria, presidência, que são os chamados “cargos de confiança” e, a eles associamos automaticamente, a prática de quem manda, de quem determina (...)

Por
Edjane Silva
&
1/3/2021
NOSSA ESSÊNCIA

Há mais de 10 anos acreditando na singularidade do desenho de construção individual como instrumento da Revolução Humana.

Saiba mais