Não sou mais funcionário....e agora?

Por
Paula Hahnemann
&
Postado em
1/3/2021

Muitos de nós somos surpreendidos por decisões de terceiros, como no caso quando trabalhamos numa empresa e, de repente, somos demitidos.

Em situações como a que estamos vivendo, no Brasil, com milhões de desempregados, algo nesse sentido pode acontecer, com qualquer pessoa, até mesmo com profissionais competentes.

Mas, se isso aconteceu com você, tente não se desesperar. Talvez você tenha familiares que dependam de você, financeiramente. No entanto, seu equilíbrio emocional será muito exigido nesse momento desafiador e um pouco de sangue frio será necessário para, passado o momento do choque inicial, você tomar uma decisão.

Na vida, muitas vezes somos defrontados com situações que são um “chacoalhão”, que lá na frente poderemos chegar à conclusão que foram caminhos que nos foram apresentados para uma guinada em direção à evolução.

Pode ser que a situação não estivesse no seu radar, isso acontece. É verdade que, às vezes,  preferimos levar a vida, leve e solta, tal como está e nem pensar em possibilidades como essa, a de sermos demitidos.

Mas talvez você já tivesse pensado nessa hipótese e não quis encarar de frente. E agora ela se tornou realidade.

Nesse momento, por que não pensar que está diante de uma oportunidade única? Para você, finalmente, colocar aquele plano que tinha em mente, há algum tempo, mas que não tinha coragem de comentar nem com suas amizades mais próximas, por receio de ouvir uma recriminação ou mesmo tentarem te dissuadir da ideia, com comentários variados: enlouqueceu? Perder sua segurança de benefícios? Sair da sua zona de conforto? Tantos anos de empresa! O que os outros vão dizer? E a sua família? Eles dependem de você!

Há alguns anos, tive um líder que me disse ser importante ter alternativas na vida. “Até mesmo para férias precisamos ter nosso plano B, C, e, por que não, um D?”, ele me disse naquela ocasião. Nesse sentido, ele estava certo e isso me livrou de algumas situações complicadas.

Agora, a realidade chegou. O que fazer?

De alguma forma, bem dentro de nós, sabemos dos nossos talentos e nossas possibilidades de atuação, que pode ser o ponto de partida para a primeira reflexão decisiva: definir seus novos objetivos, ou resgatar velhos sonhos, pois, como falava Séneca, "Quando se navega sem destino, nenhum vento é favorável".

Pode ser que você resolva voltar ao mercado de trabalho, enfrentar entrevistas e processos seletivos. Qual o problema, se optar por isso? Verdade que precisará ter uma dose de paciência, persistência e conter um pouco sua ansiedade, porque o retorno pode não ser imediato, como desejaria. Por outro lado, também pode ser bem rápido esse retorno. Se isso acontecer, será excelente, porque há muitas empresas que estão buscando talentos que você tem.

Mas, e se for aquele momento que a vida está te colocando como oportunidade para uma mudança radical? Em que você terá que tirar de dentro de si aquele desejo secreto, seus planos nunca antes divulgados, de fazer uma carreira solo. Enfrentar a si mesmo e a todos.

Se isso aconteceu, não perca a chance! Vá em frente! Acione sua rede de apoio, seus contatos próximos e nem tão próximos, desde o porteiro (se você mora em apartamento) até o dono da banca de jornal do seu bairro, seus colegas do antigo trabalho, seus líderes anteriores, enfim, faça um balanço de quem poderia ajudar nessa situação. Com certeza, você perceberá quantas pessoas fazem parte da sua vida, que poderão impulsionar sua nova trajetória.

Independente do seu novo ramo de negócio, busque informações técnicas sobre o que fará, as tendências do mercado, as perspectivas de atuação e até mesmo inspiração em pessoas que falharam nesse início de nova vida. Porque elas serão um exemplo do que você poderá evitar.

Elabore um plano de ação para as etapas até a execução do seu plano. Busque apoio também com ideias de pessoas que fizerem esse mesmo movimento e estão atuando com autonomia. Falar com elas será uma experiência e tanto, que poderão abrir sua mente e trazer a inspiração necessária para os próximos passos.

E fique atento ao seu entorno, porque, a partir de agora a sua percepção das coisas e das pessoas serão importantes para guiarem seus passos, com maior criticidade. Até porque, agora você será líder de sua carreira.

Seus novos caminhos poderão não ser, exatamente, um “mar de flores” logo no início, mas com um bom planejamento, seu toque especial, seu olhar atento para o que quer e da maneira que quer, com certeza serão os diferenciais do seu jeito de fazer.

“Não existe oceano maior que a determinação humana.”
Lars Grael

Paula Hahnemann

Busca novos conhecimentos que ajudem a compreender melhor a si própria, as pessoas e o mundo. Intenciona que seus estudos, organização, planejamento e perseverança sejam guias nessa jornada.

POSTS RELACIONADOS

Os relógios

SAIBA MAIS

A responsabilidade do poder no contexto da gestão.

SAIBA MAIS

Roupa no varal

SAIBA MAIS

ÚLTIMOS POSTS

Os relógios

Houve um tempo que o sol marcava as horas e juntamente com a natureza, marcava os ciclos da vida. Houve um tempo quando os relógios eram de bolso, presos às roupas por lindas correntes de ouro ou prata e usados por elegantes senhores de ternos escuros e chapéus (...)

Por
Sonia Barros
&
1/3/2021

A responsabilidade do poder no contexto da gestão.

No sentido da palavra, poder e gestão são muito semelhantes. Eu diria que são sinônimas uma da outra, pois quando pensamos na palavra gestão, logo nos vem à cabeça cargos de gerência, diretoria, presidência, que são os chamados “cargos de confiança” e, a eles associamos automaticamente, a prática de quem manda, de quem determina (...)

Por
Edjane Silva
&
1/3/2021
NOSSA ESSÊNCIA

Há mais de 10 anos acreditando na singularidade do desenho de construção individual como instrumento da Revolução Humana.

Saiba mais