Criar futuros: o compromisso dos estrategistas

Por
César Caminha
&
Postado em
1/3/2021

A palavra estratégia tem origem no termo grego strategia, que significa manobra, plano ou método usados para alcançar um objetivo ou resultado específico. O termo inspirou dirigentes militares durante batalhas entre países. Neste contexto, o que define o estrategista é que ele busca a vitória da guerra e não somente uma ou outra batalha, podendo, assim, permitir-se derrotas táticas em prol de seu objetivo final.

Dentro de nossos contextos pessoais ou profissionais, percebemos que o pensamento estratégico deve partir, portanto, da definição de visão de futuro, ou seja, a clareza de onde se quer chegar. Ao longo dessa trajetória, temos a chance de romper com a reprodução de velhas alternativas e soluções e buscar caminhos novos, criativos e, em geral, com mais resultados que os já trilhados.

Mas, afinal,como criar futuros?

“Planejar é criar futuros”

A definição de Carlos Matus Romo, criador do PES – Planejamento Estratégico Situacional, traz o planejamento como ferramenta essencial para escapar das armadilhas do improviso, que motivam respostas sem direcionamento claro a situações cotidianas.

“Quem não planeja está fadado ao improviso”

Obviamente que improvisar faz parte. Afinal, “podemos eleger nossos planos, mas não escolhemos as circunstâncias em que serão realizados”. Planejar por cenários é uma técnica bastante utilizada para prever possíveis alternativas, e mesmo assim,em determinados momentos, o improviso será necessário.

O planejamento também é importante para corrigir erros e problemas cotidianos. Mas atenção! Quando usado apenas para este fim, pode ser limitador, pois é como definir a direção do carro olhando para o espelho retrovisor.

A proposta do estrategista, é, portanto, desenhar um plano a partir de uma visão de futuro, um cenário desejado, crível e possível, portanto, “criável”.

O planejamento se estabelece como a grande oportunidade pessoal e corporativa de criar os futuros desejadosem nossa vida e de nossos grupos de trabalho, com a definição de um conjunto de ações coerentes para o atingimento de um objetivo claro.

César Caminha

Refinador e analítico, acredita que é possível garantir que as pessoas, a partir de uma conexão e alinhamento com sua essência e seu propósito, tenham uma vida feliz eíntegra, mantendo uma conexão sustentável e positiva entre as organizações e a sociedade.

POSTS RELACIONADOS

Os relógios

SAIBA MAIS

A responsabilidade do poder no contexto da gestão.

SAIBA MAIS

Roupa no varal

SAIBA MAIS

ÚLTIMOS POSTS

Os relógios

Houve um tempo que o sol marcava as horas e juntamente com a natureza, marcava os ciclos da vida. Houve um tempo quando os relógios eram de bolso, presos às roupas por lindas correntes de ouro ou prata e usados por elegantes senhores de ternos escuros e chapéus (...)

Por
Sonia Barros
&
1/3/2021

A responsabilidade do poder no contexto da gestão.

No sentido da palavra, poder e gestão são muito semelhantes. Eu diria que são sinônimas uma da outra, pois quando pensamos na palavra gestão, logo nos vem à cabeça cargos de gerência, diretoria, presidência, que são os chamados “cargos de confiança” e, a eles associamos automaticamente, a prática de quem manda, de quem determina (...)

Por
Edjane Silva
&
1/3/2021
NOSSA ESSÊNCIA

Há mais de 10 anos acreditando na singularidade do desenho de construção individual como instrumento da Revolução Humana.

Saiba mais