Como cultivar e materializar Intenções

Por
Izabela Mioto
&
Postado em
18/5/2020

Em minhas aulas e palestras tenho falado muito sobre gestão de intenção e expectativas. Enfatizo que intenções têm a ver com tudo aquilo que está em nosso “espaço de governabilidade”- aquilo em que de fato conseguimos atuar não depende das circunstâncias, nem de outras pessoas. Diferentemente da intenção, expectativa depende de algo externo para se realizar. No dicionário, expectativa “é um estado interno de esperar algo que se deseja, cuja realização julgamos ser provável”. Sobre intenção: “propósito, pensamento impulsionado pela vontade e que perdura conscientemente durante a ação”.

Em nossas vidas, existem intenções e expectativas. Quanto mais consciência temos de nossas intenções, melhor faremos a gestão de nossas expectativas e correremos menos riscos de deixar emoções negativas nos desviar de nossos verdadeiros objetivos, quando não tivermos nossos desejos atendidos pelo outro. Ao reler o livro da Malika Chopra,  “O que vale é a intenção – como transformar suas intenções em ações, vivendo com equilíbrio, paz e alegria”, resolvi escrever sobre os passos trazidos pela autora nessa jornada para transformar intenções em ações.

Referencio apenas que o tempo de as coisas acontecerem não é necessariamente o tempo que gostaríamos. Então, manter-se no caminho, gerenciar a ansiedade e não perder o foco serão atitudes essenciais para realizarmos aquilo que desejamos. Recomendo a leitura do livro, que é bem didático e traz muito das reflexões da vida pessoal de Chopra.

1.   Tudo começa com a INCUBAÇÃO

Segundo Malika Chopra, só conseguiremos acessar as intenções mais profundas se conseguirmos acalmar nossa mente. O “tagarela interior” que cada um de nós tem pode nos desviar daquilo que realmente nos importa e nos conduzirá para um lugar de mais plenitude. A incubação consiste em um “período em que algo, uma criação, um evento etc. estão em elaboração, antes de sua manifestação concreta” (definição Michaelis).

O que a autora nos convida a fazer nesse processo de incubação? Acalmar a mente, da maneira que for mais confortável. Algumas pessoas têm mais facilidade para meditar, outras nem tanto. De qualquer maneira, é preciso encontrar uma forma de gerar quietude, silenciar o barulho interior. Essa quietude ajudará a revelar seus processos de pensamento – tanto os produtivos quanto aqueles que podem destruir suas intenções. Você também terá mais condições de acessar seus medos, inseguranças e potenciais, chegando às intenções, ao exercitar o “estar presente”, sentir as emoções.

Chopra afirma:

“autoconhecimento e consciência ajudam não só a compreender a própria vida e sua finalidade, como também a nos relacionar com mais compaixão com os outros. Quando você está acordado na mente pode ser uma amiga melhor, uma esposa melhor e uma mãe melhor”.

Colocando em prática:

·  Liste/escreva as dimensões mais importantes de sua vida, por exemplo: saúde emocional, saúde física, relacionamento íntimo, família, trabalho e carreira, espiritualidade etc.;

·  Então, escreva uma intenção para cada uma dessas dimensões.

2.   Esteja atento – PERCEPÇÃO

Malika nos convida, nesse segundo momento, para que nos tornemos cada vez mais atentos aos nossos pensamentos e ações. Torne-se um observador de si mesmo. Como você tem reagido às circunstâncias e às atitudes das outras pessoas? Acolha-se em suas ações e procure compreendê-las.

Para isso, será preciso sair do “piloto automático” - desacelerar para perceber e encontrar sinais de que você está ou não na direção corretar em relação às suas intenções. Malika cita o adorável Eckhart Tolle ao enfatizar a importância de prestar atenção a quantas vezes nossos pensamentos são negativos:

“Além de suas manifestações óbvias, como raiva, rancor e inveja, o negativismo assume formas sutis que, por serem muito comuns, não costumam ser reconhecidas como tal, como impaciência, irritação, nervosismo e sensação de estar ‘cheio’ de uma situação ou de alguém, isto é, de ter chegado ao limite. Elas constituem a infelicidade em segundo plano, que é o estado interior predominante de muitas pessoas. Precisamos estar absolutamente atentos e presentes para detectá-las. Sempre que fizermos isso, será um momento de despertar.

Tolle, Eckhart, Um novo mundo: o despertar de uma nova consciência. Rio de Janeiro: Sextante, 2007.

Mantenha-se atento aos seus pensamentos e suas ações. Mesmo após um momento em que você não consiga manter o controle ou mesmo foi passivo ao não dizer algo a alguém, revisite-se. É possível que, com o tempo de observação, você encontre alguns padrões recorrentes que estão lhe desviando das suas verdadeiras intenções.

Colocando em prática:

·  Preste mais atenção aos seus pensamentos e ações, e responda: onde eles vão te levar? Qual o possível desfecho de se continuar pensando e agindo dessa maneira? Eles estão condizentes com as intenções que você escreveu para as dimensões da sua vida?

·  Acolha duas atitudes antes de julgá-las. Procure refletir mais profundamente o porquê de você ter agido daquela maneira;

·  Observe também as atitudes positivas que estão alinhadas às suas intenções.

3.   CONFIANÇA – essencial para seguir em frente

“Você precisa permitir ser guiado pela intuição, pelas mensagens silentes que vêm de dentro, as quais muitas vezes deixamos escapar na correria cotidiana”.
Malika Chopra

Chopra diz que “como as intenções são tão profundamente pessoais e únicas – como digitais emocionais –, é impossível cumpri-las sem que confiemos em nosso conhecimento interior, sem que acreditemos que o universo vai guiar nosso caminho”.

Por tudo o que tenho estudado, fica cada vez mais evidente que quando estamos conectados a nossa força interior, nossa verdadeira essência que traz em si uma potência que é singular a cada um de nós, podemos nos conduzir com mais possibilidade de vivenciar uma dança ao invés de uma luta. É como se o mundo de fora nos apresentasse o que precisamos para percorrer a jornada até atingir nossas intenções.

Malika nos convida a uma confiança que vem não somente de nossa voz interior, mas também de nossas intuições e sensações do corpo, bem como do que o Universo nos apresenta. É importante reforçar, porém, que no caminho da intenção existirão vários “tropeços”, alguns passos para trás. Dessa forma, ter autocompaixão ajudará muito nesses momentos.

Atingir nossas intenções requer confiança durante o caminho. A ansiedade e a cobrança podem se fazer presentes, pois ampliamos a responsabilidade sobre nossas ações. E, dependendo do nível de cobrança que temos sobre nós mesmos, pode ficar pesado. Três passos para frente são importantes; mas nesse processo também daremos passos para trás  - e nesses momentos podemos paralisar e não seguir mais em frente.

Acolha-se, portanto!

As coisas não acontecem no tempo que desejamos, a confiança ajuda a estabelecer o foco, mas será preciso ter compaixão por si, persistência e compreensão. Entender que,  por vezes, abandonar o lugar conhecido, o padrão que aprendemos, requer dar um salto no escuro.

Colocando em prática:

·   Lembre-se de todas as vezes em que você teve algumas intuições sobre certas coisas. Reviste o que essas intenções diziam e se elas estavam ou não corretas;

·   Pense: você tem alguma manifestação em seu corpo quando sente que algo não vai bem ou quando sente que algo muito bom vai acontecer?

·   Relembre aqueles momentos em que você desejava ou pensava tanto em algo e aquilo “caiu no seu colo”.

4.   EXPRESSÃO – trazendo vida às intenções

Nossos pensamentos encontram formas em nossas palavras, trata-se de um primeiro passo para “materializarmos” as nossas intenções. Ao comunicar nossos desejos repetidas vezes, eles ficam cada vez mais vivos entre nós. E ao comunicar para as outras pessoas, elas também poderão nos ajudar a avançar no caminho de realização de nossas intenções. Malika enfatiza que as intenções, quando compartilhadas, ganham força por meio da expressão.

Por vezes, uma intenção maior expressada abre espaço para mobilizar as microintenções:

“Dar passos positivos em direção a nossos objetivos – ir do pensamento à ação – proporciona um movimento para a frente, mesmo se for medido em passinhos curtos. Isso infunde confiança e reforça o ímpeto. A vida é cheia de incertezas, mas pôr um pé na frente do outro e ter uma visão de onde podemos chegar é uma forma de assumir o controle e aproveitar todo o potencial disponível”.

Quantas vezes as nossas intenções morrem em nossos pensamentos ao irem perdendo potência, quando deixarmos de energizá-las? Lembro do maestro João Carlos Martins, ao dar uma entrevista ao Jô Soares, dizer que quando ele ia ao programa, acabava falando sobre uma série de coisas que desejava fazer e que aquelas promessas o “comprometiam” na ação. Então, depois de ter clareza acerca de suas intenções, quais as maneiras de energizá-las, tornando-as cada vez mais vivas dentro e fora de você?

Colocando em prática:

·   Revisite as intenções que você escreveu no passo 1 para as principais dimensões de sua vida – elas ainda fazem sentido para você exatamente da maneira que estão expressas no papel?

·   Encontre uma pessoa em quem você confia, de quem você gosta bastante e que emana uma energia boa para si e converse sobre suas intenções;

·   Caso já tenha realizado algumas ações em direção a uma ou outra intenção, verbalize para essa pessoa também.

5.   NUTRIÇÃO – regue a semente, permita-se cair e levantar

O que te energiza e nutre para que você não desista de suas intenções? Podem ser pensamentos, ações, encontros, ou mesmo tarefas que são realizadas por você, e que podem representar simples rituais.

Malika Chopra diz:

“Nunca é tarde demais para realizar um sonho (...). Se você nutrir uma ideia por tempo o bastante, garanto que as décadas que ela passou em incubação vão se provar uma benção”.

Por vezes, encontro com pessoas que há muito tempo dizem não conseguir mais fazer coisas de que gostam e que lhes fazem bem... Então, nutra-se de suas qualidades, das pessoas que lhe trazem boas energias, daquilo que você gosta de fazer. Mutas vezes, não paramos para observar quais os momentos que nos trazem vitalidade e nos energizam para continuarmos nossa jornada ao encontro do que realmente desejamos na vida.

Eu, por exemplo, tenho me energizado muito na prática de Yoga, em conversas com uma amiga-irmã que é psicanalista e traz conexões importantes sobre meus esquemas operatórios. E, claro, eu me energizo demais na presença do meu filho e nas conversas que temos antes de dormir. Existem pessoas que conseguem se energizar cozinhando, outras visitando os avós, algumas escrevendo, existem muitas formas. Quais as suas?

Colocando em prática:

·      O que você faz que lhe traz paz, alegria ou vitalidade? Quais são as pessoas que o ouvem com atenção ou apoiam com boas palavras, perguntas ou conselhos?

·      O que você faz bem, gosta de fazer e sempre fica satisfeito por ter feito? Passe a fazer mais!

·      Você também pode conversar com algumas pessoas sobre suas intenções e ajudá-las a nutrir esses desejos.

6.   AÇÃO – regue a semente, permita-se cair e levantar

Desde conquistas de bens materiais, até mesmo sonhos de conquistar alguém, quando agimos, encontramos as possibilidades para que se tornarem reais. Eu me lembro de uma conhecida que morava no interior de São Paulo, na pequena Estrela D’Oeste, onde fui criada. Seu sonho era ter uma casa confortável e o seu salário pouco sobrava para fazer investimentos. Eu frequentei sua casa por anos, desde que ela começou a construção, pois era sua cliente. Era empolgante a cada semana, perceber ou ouvir sobre algo, por mínimo que fosse, que ela tinha incorporado. Foram dez anos até que seu “lar” estivesse pronto. E o mais incrível era perceber o quanto ela se orgulhava e desfrutava de cada cantinho que tinha conquistado. Penso que, assim como na questão material, a mudança de algum comportamento ou algum padrão que não nos serve mais tem um tempo para que seja nutrida com cuidado e atenção. Alguns contratempos podem acontecer antes que se floresça algo. No mundo de dentro, onde podemos nos encontrar em nossa verdadeira essência, o “lar” interno onde estamos protegidos, mesmo com as tempestades que podem acontecer no mundo de fora, também é preciso regar a semente do autoconhecimento. E isso leva tempo e requer disponibilidade.  Suponho que primeira intenção que deveríamos nutrir é de nos conhecermos bem para que possamos dar passos cada vez mais conscientes e conectados com o que nos fortalece e importa.

Como você tem nutrido as suas intenções? Como uma semente, tudo o que não é regado corre o risco de não florescer. Confie na natureza, mas procure fazer a sua parte, regando e nutrindo sempre que possível. Um belo dia, talvez você possa ser positivamente surpreendido. Enquanto isso, curta cada passo da jornada!

Colocando em prática:

·   Compre uma semente para você plantar e regar. Acompanhe o seu processo até o “desabrochar”. Entenda e estude antes as particularidades do que você escolheu plantar e procure ser disciplinado no processo de cuidados até o seu “desabrochar”;

·   Lembre de algo que você “regou” em sua vida e que “floresceu”. Relembre também como foi esse processo, quais foram as ações que você realizou;

·   Escreva pelo menos três ações que você pode empreender para nutrir as intenções que anotou para as várias dimensões de sua vida. No seu tempo, procure realizar essas ações. Pense em coisas simples para que não se tornem inviáveis;

·   Pense nas ações que você já realizou até aqui e que você percebeu de resultados rumo a realização de suas intenções;

·   Aja!

Ao final do livro, o pai de Malika, Deepak Chopra oferece alguns “segredos” que ele mesmo diz ter adquirido ao longo de sua experiência de vida para a realização das intenções. Resumirei aqui as suas dicas, mas proponho que você as leia na íntegra, no final do livro, pois o texto é muito lindo!

1.     Aprenda a nutrir seu corpo com sono, movimento e comida saudável;

2.     Aprenda a viver no presente, pois é o único momento que você tem;

3.     Tire um tempo todos os dias, mesmo que sejam cinco ou dez minutos, para ficar em silêncio, refletir ou meditar;

4.     Renuncie sua necessidade de aprovação externa;

5.     Quando se vir reagindo com raiva ou oposição a qualquer pessoa ou circunstância, perceba que você só está lutando consigo mesmo;

6.     Saiba que  o mundo ‘lá fora’ reflete a sua realidade ‘aqui dentro’;

7.     Libere o ônus do julgamento moral: você vai se sentir muito mais leve;

8.     Não contamine seu corpo com toxinas, seja por meio de comida, bebida ou emoções tóxicas;

9.     Substitua o comportamento motivado pelo medo por uma conduta motivada pelo amor;

10.  Entenda que o mundo físico é apenas um espelho de uma inteligência mais profunda.

Para Chopra, “se você viver com intenção, decerto chegará o dia em que os vícios da sensação, do poder e da segurança começarão a perder sua posição. Vícios são substituídos por conexão. Conexão dá lugar a preferências. Preferência é seguida pela escolha, a sutil intenção e o desapego”.

Izabela Mioto

Intenciona todos os dias comunicar a luz que enxerga em cada pessoa para ajudá-la a trazer à tona o seu potencial para si e para o mundo. Desbrava caminhos, pensa em soluções diferenciadas, com a intenção de ajudar na transformação de pessoas e contextos.

POSTS RELACIONADOS

Carreira

Cascata à vista - o que é um projeto e como aplicar os métodos do PMBOK

SAIBA MAIS
Carreira

Entre quadros e cerimônias – conceitos de projetos ágeis

SAIBA MAIS
Carreira

Como cultivar e materializar Intenções

SAIBA MAIS

ÚLTIMOS POSTS

Cascata à vista - o que é um projeto e como aplicar os métodos do PMBOK

Antes de falar sobre metodologias, frameworks e formas de gestão, é importante entender o que, exatamente, é um projeto. De acordo com a definição do Guia PMBOK (Project Management Body of Knowledge), projeto é um esforço temporário empreendido para criar um produto...

Por
Tiago Rodrigo
&
16/10/2019

Entre quadros e cerimônias – conceitos de projetos ágeis

Antes de começar, gosto de esclarecer dois conceitos: por que framework e não metodologia ágil? Embora muitas pessoas utilizem incorretamente o termo “metodologia” para se referir a projetos conduzidos sob os valores e princípios ágeis, ele é impreciso.

Por
Tiago Rodrigo
&
16/10/2019
NOSSA ESSÊNCIA

Há mais de 10 anos acreditando na singularidade do desenho de construção individual como instrumento da Revolução Humana.

Saiba mais